[resenha] OS SEGREDOS DE COLIN BRIDGERTON - JULIA QUINN

Título: Os segredos de Colin Bridgerton
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 336

Sinopse: "Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons há muitos anos. E alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres.Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade.Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum.Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente.No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz.Em Os segredos de Colin Bridgerton, quarto livro da série Os Bridgertons, que já vendeu mais de 3,5 milhões de exemplares, Julia Quinn constrói uma linda história que prova que de uma longa amizade pode nascer o amor mais profundo."



Quarto livro da série Os Bridgertons, Os segredos de Colin Bridgerton foi uma surpresa para mim, e não só com pontos positivos ou só pontos negativos. A primeira surpresa foi que pela primeira vez o romance surgiu com alguém que já conhecíamos de livros anteriores. Penelope era uma jovem jovem tímida, atrapalhada e um pouco acima do peso, sempre às margens dos salões de festa esperando uma oportunidade para dançar, que normalmente acontecia por algum Bridgerton e por motivos errados, seja piedade ou coação da querida Violet, matriarca da família.

A segunda surpresa que tive foi que o jovem Colin e todo seu charme, beleza, bom humor e espirito aventureiro me conquistou desde sua primeira aparição em O duque e eu. Sempre seguro de si e confiante, quando aprofundada a história dele, percebemos que parte disso era encenação. Talvez minha ansiedade de conhecer um pouco melhor esse personagem apaixonante, a minha expectativa deve ter atrapalhado um pouco e acabei não encontrando tudo que esperava nesse livro.

Penelope agora é uma solteirona de 28 anos. Sempre passou despercebida pelos jovem da sociedade londrina (e por mim também), só não ganhava folga da Lady Whistledown e sua crônica da sociedade, mesmo que com comentários pouco agradáveis. Nunca foi pedida em casamento e quando sua mãe desiste, se vê livre, dentro dos limites da época, para ser o que realmente é. Agora ela pode ler seus livros, sair para passear com a melhor amiga, Eloise Bridgerton, e até escolher algum vestido com uma cor que combine um pouco mais com ela que o amarelo que sua mãe tanto gosta. Mais segura de si, tem menos medo de falar o que pensa. Apesar de estar feliz com sua situação de solteirona e até se permitir fazer planos fora do padrão com a amiga Eloise, outra solteirona, nunca esqueceu o sonho infantil de se casar com Colin, irmão da amiga, um dos jovens mais cobiçados de Londres, por quem é apaixonada desde os 16 anos.

Colin sempre foi apaixonado pela aventura. Apesar de amar sua família e de estar perto deles, sente uma necessidade incontrolável de viajar o mundo e conhecer novas pessoas e lugares. Ao chegar de uma dessas viagens, da Grécia, se surpreende por encontrar algumas mudanças que ocorreram no tempo que esteve fora e a que mais o surpreende é a amiga Penelone Featherington. Ela não é mais aquela jovem somente digna de pena, mas sim alguém que ele sente cada vez mais vontade de estar perto, mesmo com todos os dilemas preconceituosos.

No entanto, a encenação que citei antes é seu maior segredo. Aparentemente tão seguro de si, ele sofre do mesmo problema que vimos seus irmãos sofrendo, a insegurança e o medo de nunca ser bom o suficiente. Suas viagens o torna diferente, o permite fugir e também o faz especial, mesmo que não tenha consciência disso. Isso até o dia que Penelope, sem querer, descobre seu segredo e se encanta com seu talento. Exatamente esse segredo que os aproxima ainda mais. Ah, não vou negar que esperava muito mais desse segredo, considerando o título e a sinopse, me decepcionei bastante.

Em paralelo a isso, a cidade está em polvorosa com o anúncio da aposentadoria da maior fofoqueira de Londres e com isso inicia-se a corrida para descobrir sua verdadeira identidade. Entre a corrida de toda a sociedade e a aproximação dos dois, mais um segredo é revelado e esse é de abalar estruturas. Quando Colin descobre o que a jovem esconde, muitas dúvidas surgem mas também muitas coisas se esclarecem sobre quem ela realmente é.

Mais uma vez a autora consegue descrever muito bem os detalhes da época, nos dando um ótima visão sobre o que acontece, mantem a narrativa em terceira pessoa nos tornando conscientes de tudo que acontece na vida desse casal e da sociedade. Nada se resume somente a eles, apesar de ser o ponto principal.

O início do livro foi um pouco parado e sem emoção, coisa que sempre espero de Colin Bridgerton, me desanimando um pouco, mas não o suficiente para desgrudar do livro. No entanto, isso acaba quando temos o segredo de Penelope revelado e várias reviravoltas acontecem. Uma delas é o romance dos dois e o destino de Eloise, contado no próximo livro, Para Sir. Phillip, com amor. O que acontece com a Bridgerton daí para frente tem muita relação com as mudanças na vida da melhor amiga.

Mais uma história para rir, suspirar e divertir. Além de nos mostrar como os segredos tem o poder de mudar as vidas das pessoas, seja para o bem ou seja para o mal.

Nenhum comentário