CHEGA DE ASSÉDIO

 Olá amores, como vocês estão?

O post hoje é sério e, para falar a verdade, é mais um desabafo do que qualquer outra coisa. Até a adolescência, escrever era a minha forma favorita de desabafar. Sempre tive dificuldade de compartilhar minhas vivências, boas ou não, então quando ficava angustiada, meus melhores amigos eram a caneta e o papel.

Desde que retornei ao blog, tenho experimentado novamente a escrita, e é por isso que estou aqui hoje.


Precisamos falar de assédio, as vítimas precisam ser tratadas como tal e não julgadas. Passei por algumas experiências nas últimas semanas que mexeram muito comigo, mas que também me fizeram refletir.

Algumas semanas atrás recebi um convite de amizade de um homem pelo Facebook. Tínhamos vários amigos em comum, as fotos eram todas com familiares. Como venho tentando me permitir conhecer novas pessoas, outra dificuldade que me acompanha durante toda a vida, aceitei. A conversa começou divertida e inocente, até eu receber um vídeo pornográfico do mesmo. Reclamei, briguei, mas as respostas que tive foram que as minhas fotos que o inspiraram e ainda me questionou se não gostei mesmo. Bloqueei no aplicativo, mas a mente da gente não bloqueia tão facilmente.

Por mais que eu saiba que não fui a culpada, ainda me surpreendi questionando se realmente não fiz nada de errado. NÃO FIZ!

Mas aquilo mexeu comigo.


Na semana seguinte, fui envolvida em mais uma situação constrangedora. Recebi uma mensagem de um colega comprometido. Não fui assediada, foi um elogio, mas que me deixou constrangida pela situação. A companheira do mesmo me informou que viu a mensagem, que não gostou, mas apesar do constrangimento, nada mais foi discutido. Até uma quarta pessoa se envolver na situação.

Sempre tive um carinho enorme por essa quarta pessoa, mas ela também é muito amiga do casal em questão. Primeiro fui ignorada durante toda a semana, sem nem ao menos saber o motivo, visto que acreditei que o assunto estava encerrado. Quando enfim ela resolveu me mandar uma mensagem me informando que estava magoada comigo, disse que sabia que eu não era a culpada, mas que ainda queria ouvir meu lado da história.


É sobre isso que quero falar. A vítima ainda tem que justificar seus atos, responder o que vestia, ser questionada do porque estar sozinha se sabe que é perigoso, ser acusada de provocar ou de estar facilitando.

Todos os dias, ao abrir as redes sociais, me deparo com um novo caso de violência contra a mulher, seja ele físico ou psicológico. O mais triste é que sabemos que esses casos diários são casos que ganham notoriedade, mas que são uma porcentagem ínfima se comparado ao que realmente acontece.

Apesar de ter perdido minha mãe ainda muito nova, quando o feminismo não tinha a força que tem hoje, fui ensinada a ser livre e independente. Carrego isso comigo nos meus 31 anos. Já fui julgada, provocada, ainda ouço chacota de pessoas próximas, mas sei a importância que o feminismo tem na vida das mulheres e não vou abrir mão de lutar e falar sobre isso.

CHEGA DE ASSÉDIO, CHEGA DE VIOLÊNCIA, CHEGA DE CULPAR A VÍTIMA.

Não foi a primeira situação que passei e infelizmente não será a última. Minha realidade e de tantas outras mulheres. Sofri, me culpei, busquei respostas, chorei muito. Aliviei a minha dor. Agora estou pronta para voltar a luta!


NÃO PODEMOS MAIS NOS CALAR!

7 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, não tem nada mais constrangedor que este tipo de situação. Já vi muitas amizades sendo desfeitas por escolher ser sozinha. Pois muita gente julga uma ameaça mulher solteira por perto.. rs vai entender! Não curto seguir estereótipos mas perante tantos rótulos que nos pregam durante a vida, o melhor é a gente aprender à nos encontrarmos. Bom pra você aprender à lidar com isso. Para todas nós <3
    Beijos!
    tucacheias.com

    ResponderExcluir
  4. É exatamente isso, não podemos nos calar nunca!
    Ótimo poste!
    Beijos.
    http://vinteedoisdemaio.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Concordo com cada palavra sua. Não é não e ponto. Infelizmente isso ainda ocorre muito, muitas vezes a vítima tem medo de denunciar e fica por isso mesmo. Mas se ficarmos caladas, a situação só piora. Temos sim de termos voz e acabar com isso de uma vez por todas.

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  6. Olá, Ray.
    E ainda escuto mulheres falando que é contra o feminismo. Infelizmente esse conceito da culpa ser sempre da mulher está enraizado nas pessoas e as pessoas vão sempre tentar achar uma justificativa para o assédio, para o estupro, para a violência, até para morte, e sempre vão enaltecer feitos em homens que serão vistos como ruins quando são feitos pelas mulheres. Triste, mas temos que continuar lutando para mudar os pensamentos e atitudes.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Que situações difíceis, mas que bom que você está bem. Realmente o Brasil é muito preconceituoso ainda quando fala que a culpa é da vítima. Uma pena.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir