[resenha] PILOTO PLAYBOY - PENELOPE WARD e VI KEELAND


Título: Piloto Playboy
Autoras: Penelope Ward e Vi Keeland
Editora: Charme
Páginas: 273
Onde comprar: Amazon

Sinopse: "Dinheiro ou amor? Qual você escolheria?
Você provavelmente acabou de responder a pergunta na sua mente pensando que é uma decisão fácil.
Para mim, não é. Eu já disse que é bastante dinheiro? Muito mesmo.
Eu precisava ir para longe para pensar nisso.
Quando embarquei em uma viagem impulsiva, mudei o rumo ao conhecer o sexy Carter no lounge do aeroporto. Nos envolvemos em uma conversa acalorada.
Depois, ele foi embora.
Pensei que nunca mais fosse vê-lo.
Mas o destino tinha outros planos.
Surpresa! Ele era o piloto do meu voo.
A surpresa maior foi a aventura que aconteceu depois que o avião pousou.
Carter era perigoso e estava sempre viajando.
Embora nossa conexão fosse magnética, eu sabia que era apenas temporária.
Ele me dava passagens, e eu o seguia pelo mundo para lugares exóticos.
Um bando de aeromoças ex dele e boatos sobre a reputação de Carter sempre estavam nos rodeando.
Eu não sabia no que acreditar.
Mas estava viciada. Nada mais importava. E eu ia me magoar. Porque parte de mim queria ser a garota que finalmente faria o piloto playboy se aquietar.
Pelo menos, ele estava me levando para um passeio emocionante.
Todas as coisas boas acabam, certo?
Só que não previ como seria o nosso final."



Kendall Sparks tem uma grande herança para receber, mas seu avô colocou uma cláusula nada convencional em seu testamento, ela precisa ter um filho. Isso, um filho, no masculino. O prazo está expirando e ela precisa decidir o que fazer. Nada melhor do que viajar para colocar a cabeça no lugar.


Logo no início de sua viagem, ainda no aeroporto, Kendall conhece Trip. O papo é bom, ele é lindo e sedutor, e ela cai na lábia dele. Até descobrir que o piloto do voo sugerido por ele é ele mesmo: Carter Clydes. Ah, e ele ainda canta The Beatles de boas vindas. Assim começa uma aventura conjunta.

Eles viajam para vários cantos do mundo, aproveitam maravilhas dos lugares em que estão juntos, se metem em confusões, enquanto isso a viagem que era para ela colocar seus pensamentos em ordem, deixa ela ainda mais confusa. Um sentimento surge, e a decisão sobre amor ou dinheiro ganha um peso cada vez maior. E quando situações acontecem, como respostas sobre qual decisão tomar, acontece algo novo para mudar completamente o rumo do que ambos estavam construindo.

"Não deixamos de perceber a ironia de que, assim que paramos de pensar em dinheiro e o deixar impactar nossas vidas, acabamos nos deparando com mais do que conseguiríamos gastar."

Sempre que vejo um livro novo de qualquer uma das duas autoras eu já coloco na lista de desejados. Adoro a escrita e as histórias criadas por cada uma individualmente, mas adoro ainda mais quando elas escrevem juntas. A junção das duas sempre me encantou. Até ler esse livro! Ele foi meio que um fracasso para mim, em partes por atitudes que não concordo, em partes por situações com justificativas muito fracas, mas principalmente por focar em algo que me irrita bastante na literatura, que é o romance instantâneo.

Kendall tem o apelido de ousada. Logo que eles se encontram, descobrimos uma característica da personagem, ela não suporta o desconforto do sutiã, principalmente em viagens. Quando Carter descobre isso, no primeiro contato deles, ele torna isso um foco na conversa, chegando a tocar ela. Ela pode não ter reclamado mas isso é um assédio que me incomodou ler. Mas vale ressaltar logo que, fora essa cena, ele teve um comportamento quase exemplar. Tem sim a boca suja, mas sabe respeitar.

Voltando ao acontecido, logo em seguida ela resolve seguir ele pelo mundo. Um homem que ela não conhece. Um homem que paga todas as suas despesas. Dividindo quartos, compartilhando segredos. Mas ainda assim um homem que ela não conhece, e sem se preocupar com sua própria segurança.


Ainda assim, mesmo desconsiderando tudo isso, após poucos dias juntos pelo mundo, ambos tem a certeza de estarem amando. Atração eu acredito, paixão talvez, mas amor não me desce. Podem me julgar mas ainda acredito que amor é um sentimento que é construído, e não descoberto da noite para o dia. E foi nesse momento de juras de amor que tudo deixou de fazer sentido para mim. Não consegui mais acreditar no casal, e os personagens, mesmo individualmente, deixaram de ser encantadores e divertidos para serem completamente forçados.

Como se não estivesse decepcionada o suficiente, a cláusula da herança foi claramente uma justificativa fraca de manter a ideia da história, e a decisão dela mais para frente, de se mostrar independente e dona de si, pela primeira vez na vida, além de não convencer, caiu por terra em dois segundos. E a mulher que queria descobrir quem era, mais uma vez se torna dependente de um homem.

Foram alguns meses de leitura, várias pausas, mas enfim leitura concluída. Sei que no geral todos os pontos são bem pessoais, principalmente sobre o amor instantâneo, e que a maioria dos leitores que conheço amaram esse livro, diferente de mim. Então, se abordagens como estas não te incomodam, vai fundo na leitura que tenho certeza que vai se divertir. Agora, se você se incomoda como eu, tenta algum outro livro da dupla, elas tem histórias incríveis juntas.

6 comentários

  1. Parece bem interessante esse livro.
    Desejo um feliz 2021 com muita saúde e felicidade.
    Big Beijos
    Lulu
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  2. Oi!

    Hum, realmente, só pela resenha já não me atrai. Eu tentei ler livros assim e me pareceram todos muito parecidos. Perdi o interesse muito rápido. Mas para quem gosta deve ser um prato cheio :)

    Até!
    https://nsmoraes.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha. É tão ruim quando vemos a problemática dos livros e parece que todo mundo ama a história e nem percebe o que percebemos e depois nos questionamos se nos estressamos a toa.
    Eu acho muito complicado essas histórias com personagens imprudentes que saem com desconhecidos como se fossem velhos amigos.
    beijos
    https://www.dearlytay.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Sempre leio nas resenhas que os livros das autoras costumam ser divertidos. Mas acho que não começaria por esse, também não curto instalove. Fora que é meio doido esse lance da herança, tu logo imagina que, provavelmente, vai brotar um menino justamente pq é necessário um menino... muita coisa que no mundo real não rolaria né.

    Feliz 2021!
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  5. Olá, Ray.
    Eu conheci a escrita delas esse ano e já quero ler outros livros delas porque amei. Esse negócio de amor miojo eu sempre relevo porque 90% dos livros acontece isso. Eu também acredito que amor é algo que só acontece com o tempo, mas se a gente for ver isso não lê mais nenhum livro de romance, principalmente os de época que eles se apaixonam em uma semana hehe. Feliz Ano Novo.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  6. Oi Ray, tudo bem?
    Já tenho o hábito de virar o nariz pra livros com "gostosões" na capa, mas depois de ler sobre a cena do sutiã eu tive certeza que esse título não é pra mim. Não consigo acreditar em um plot envolvendo uma mulher viajar com um cara bancando ela sendo que recém se conheceram.
    Maaaas enfim. Aproveito para desejar um feliz 2021! Que seja um ano de mais saúde e mais esperança pra nós. ♥
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir